Feeds:
Artigos
Comentários

Sonhos são aqueles que não importam de onde somos, pra onde vamos, o que queremos, ou o que viemos fazer aqui … Sonhos não tem cor, tamanho, número nem preconceito. Sonho é para todos, sonho é para aqueles que amam, para aqueles que sofrem, para aqueles que odeiam, sonho é para todos eles.

Sonhar é essência, sonhar é ter o coração aberto, cheio de esperança … Sonhar é amar, é querer, é sofrer, é lutar … Sonhar é tudo. Sonhar é querer aquilo que alguns querem, ou que ninguém quer. Sonhar é poder ter, sonhar é sem limites, sonhar é vida.

Sonhar é cantar, é chorar assistindo filme, sonhar é ter o coração aberto para nossas coisas na vida, sonhar é apaixonar, apaixonar por todos, apaixonar pela vida.Sonho é beijar quem nunca vamos conhecer, sonhar é se apaixonar duas vezes pela mesma pessoa. Sonho é estar em qualquer lugar do mundo, ou em vários lugares ao mesmo tempo. Sonho é com homem, com mulher, com eles juntos. Sonho é fazer quem tá longe ficar pertinho, sonho é fazer quem não ama, amar. Sonho é matar a saudade de quem não podemos ver mais. Sonho é obstáculo, é sede de viver … sonho é vida. Sonhar é humano, viver de sonhos é impossível, lutar por eles: é inevitável.

Sonhe, com tudo que quiser, tudo que parecer impossível, selecione seus sonhos … Escolha, a vida é feita de escolhas. Mas nunca, nunca deixe de sonhar. Isso é viver.

( Beatriz Campos )

Não poderia mentir dizendo que foi melhor, não poderia me enganar dizendo que eu não sinto sua falta … Dizendo na minha cabeça que eu não sonho com o seu sorriso, que de vez em quando eu sinto seu beijo de boa noite, que quando ninguém consegue me confortar é do calor do seu abraço que eu lembro. Não vou negar que foi melhor assim para nós dois. Mas e para o meu coração? E para aquele amor que construimos ? O que fica para ele …? Um coração doido, um nó na garganta, um choro engasgado, a decepção do amor, as lagrimas que caem sem ao menos pedir licença. Um sentimento estranho, uma falta que eu nunca senti antes … Uma certeza de que acabou, uma saudade de um passado que não volta mais. Uma esperança que me mata por dentro. Novos amores chegaram, eles já foram,  eles não eram iguais a ele … E eu nem acho que seja possível encontrar alguém assim.

Não vou mentir … Eu ainda te amo, e não posso me enganar: Não sei se isso um dia vai mudar. ( E o que fazer agora com tanto amor? Se pra quem eu quero dá-lo já não quer mais recebe-lo … )

( Beatriz Campos )

Papeis invertidos, suspiros intensos, sorrisos novos, olhares curiosos, vidas opostas … Poderia dizer que nosso caso  se define assim! Um amor que foi embora, uma saudade que foi construída durante os meses, um abraço que ninguém conseguiu imitar, um beijo que me aquece o pensamento. Um dia perfeito que não pertence mais a nós … Não pertence mais a mim. Um Adeus … é isso que nos resta!

( Beatriz Campos )

O fim.

Fazia tempo que sentia isso … Um sentimento estranho, um bolo no estômago, um caroço na garganta. Aquele sentimento de ter feito tudo e mesmo assim, não ter feito nada. Não é exagero , nem prepotência dizer que eu tentei de tudo, e que você não fez nada. Você esperava que viesse de mim a solução dos nossos problemas, a cura para a nossa dor , a resposta para nossas perguntas, mas acima de tudo você esperava que eu fosse capaz de amar pelos dois. Acredito que entre nós nunca faltou amor, nunca faltou paixão … mas faltava agora essencial, que agora eu sei: maturidade. Sim, eu sei que dizem que o amor é inocente, e ele é mesmo … só que nós que sentimos, infelizmente não somos.

Fim: para o texto, para nós …

“O amor que foi embora e nem sequer disse adeus.”

( Beatriz Campos )

Ele não apareceu, mas é claro que não, ele sempre demora para aparecer, ele sempre se faz de difícil e o pior é que eu sempre caiu na dele.

Ele sempre aparece quando eu não espero, o bom ( ? ) é que eu sempre o quero. Ele é mais que único, ele é especial, ele é aqueles que os outros tem ciúmes, ele é aquele que sorri com os olhos, e que faz minhas pernas tremerem todas as vezes que o encontro ou quando apenas ouço sua voz.

Ele é aquele que sabe como e o que fazer, ele é aquele que parece um anjo, mas por dentro é mais perfeito do que isso. Ele sempre chega com aquele cabelo para trás, com aquele sorriso sem graça, aquela roupa amarrotada, ele que sempre me pega olhando para ele, e que nunca me deixa sem graça, ele com aquele jeito que me faz rir e que cada dia me encanta mais e mais … Ele sempre me conduz, me mostra o caminho, o destino do seu olhar, toda vez que o vejo, o quero, quero que suas mãos me conduzam … me conduzam direto para o desconhecido do seu olhar.

” I don’t wanna wait to feel this again.”

( Beatriz Campos )

Ela dizia com o coração doído e com a alma cansada, cansada de lutar, cansada de sofrer, cansada de buscar respostas em perguntas que ela não imaginava que teria que fazer.

Ela disse: -O que está acontecendo entre nós dois? Não dá mais para fugir, não dá mais para fingir … Me responda.

-Eles se olharam, ela sabia que algo ruim estava por vir, a primeira lágrima caiu … e vinha dela. E o pior veio, pior do que ela podia imaginar, ele levantou a cabeça e com os olhos mareados eles não disse nada … O silêncio matou aquele momento, o silêncio matou ela.

O que ela diria a seguir seria pior, o mais difícil, mas la já não sentia mais nada, apenas um buraco dentro dela, bem onde ela costumava sentir o seu coração bater, mas ela disse, como um suspiro, como um grito de dor …

-Adeus. – Ela disse, abaixou a cabeça e juntos eles se abraçaram pela última vez …. Ela não conseguia chorar, era demais pra ela. Ela sofria, não pelo fim do relacionamento … E sim pelo fim do amor.

( Beatriz Campos )

Ela que parecia tão inocente, que escrevia de lápis para poder apagar, que chorava quando lembrava dele, que ria e chorava ao mesmo tempo, que sorria sozinha com suas lembranças, passava o dia imaginando, querendo, sonhando.

Nada era suficiente para ela e ninguém podia dizer a ela que acabou. Afinal, para ela o fim tinha outro significado:

O inicio de algo novo.

But this is enough you should know about her … Enough.

(  Beatriz Campos )